Recondicionamento de Rodetes

RECONDICIONAMENTO DE RODETES: COMO COLOCAR PEÇAS DETERIORADAS EM CONDIÇÕES DE USO NOVAMENTE.

Rodetes, como é de conhecimento de todos do setor sucroalcooleiro, são engrenagens responsáveis pela transmissão de torque entre os eixos de moenda, fazendo com que o eixo superior, quando somente ele possui acionamento, transmita movimento aos eixos de entrada, saída e rolo de pressão do terno de moenda. A particularidade desta engrenagem é que possui os dentes com superfície bruta de fundição, ou seja, não é usinada nesta região. Isto implica em ter a superfície dos flancos de contato com descarbonetação devido ao processo de tratamento térmico de fabricação, fazendo com que a superfície tenha dureza relativamente baixa e se consiga a dureza adequada na têmpera indutiva desta região apenas a partir de alguns milímetros abaixo da superfície (pelo menos 3 mm). E, também por não ser usinada, apresenta conicidade devido ao necessário ângulo de desmoldagem do modelo de fundição (normalmente 2°), que pode afetar o contato entre seus pares quando montados sem serem posicionados contrapostos.

Normalmente espera-se uma vida útil de cinco anos para esta peça, porém vários fatores podem abreviar esta estimativa. Um deles é o material utilizado na sua fabricação, onde normalmente se utilizam duas ligas de aço distintas, quais sejam: o aço com composição química similar ao SAE 4330 e outro similar ao SAE 8640. A grande maioria das usinas utiliza o aço SAE 8640, com decisão mais voltada ao preço da peça, mas o aço SAE 4330 tem propriedades notadamente superiores e melhor desempenho.

Os rodetes, na sua fabricação, têm que ter um endurecimento superficial nos flancos dos dentes para aumentar a sua vida útil, e o procedimento mais adotado para tal é a têmpera por indução, fazendo com que a dureza atinja entre 400 e 450 HB nesta região, lembrando que a dureza do material base fica entre 210 e 260 HB. Outros usuários, ao invés de utilizarem este procedimento, aplicam solda dura de revestimento nos flancos ainda novos.

Durante o processo operacional os flancos dos dentes acabam por desgastar, descaracterizando o seu perfil e fazendo com que o desgaste se acelere a cada dia. Um dos fatos mais comuns que contribuem para o desgaste está relacionado à abertura na triangulação do terno da moenda. Neste caso, rodetes que deveriam ter um diâmetro maior para se adequar ao distanciamento de seus pares e engrenar no diâmetro primitivo, acabam engrenando apenas nas extremidades dos dentes, contribuindo para um desgaste acentuado e precoce.

Recondicionamento de Rodetes

Foto 1 –Aspecto dos dentes desgastados de um rodete que operou engrenado nas extremidades (acima do diâmetro primitivo) e sofreu desgaste precoce.

O recondicionamento tecnicamente correto passa por etapas que não podem ser negligenciadas. Elas fazem parte de procedimentos que a Welding desenvolveu ao longo de vários anos de estudo e comprovadamente dão resultados extremamente satisfatórios. Estas etapas podem ser resumidas no seguinte:

- Jateamento: Este tipo de limpeza é essencial para se avaliar inicialmente a peça. Como os rodetes são peças de superfícies originalmente brutas e as regiões desgastadas são mais irregulares ainda, além de operarem imersos em óleo, o jateamento é necessário para se deixar as superfícies de interesse em condições de serem inspecionadas por ensaios não destrutivos, além de se eliminar impurezas e resíduos que poderiam contaminar a solda a ser realizada.

- Inspeção por partículas magnéticas: Este ensaio visa à detecção de trincas. É aplicado na inspeção inicial, após a eliminação das trincas encontradas e após o alívio de tensões. A seriedade na condução deste ensaio é essencial para o bom desempenho da peça, já que se trincas forem encontradas mesmo na fase pós-tratamento térmico, estas devem ser eliminadas e soldadas utilizando-se o mesmo procedimento, observando-se que o tratamento térmico para alívio de tensões deve ser novamente realizado.

- Análises química e metalográfica e ensaio de dureza: São ensaios laboratoriais necessários para se caracterizar o material e servem de base para definir o procedimento de soldagem, em que parâmetros como pré-aquecimento, tipo de eletrodo, variáveis de soldagem, alívio de tensões, entre outros, são definidos.

- Grafitamento: Processo necessário para se eliminar as trincas e preparar as regiões desgastadas para serem recondicionadas, que exige técnica apurada e operadores habilitados. Deve-se considerar que o grafitamento insere carbono na superfície manipulada e alguns milímetros desta superfície devem ser removidos por esmerilamento, já que a presença de superfície rica em carbono interfere na temperabilidade do material e facilita a formação de regiões duras e frágeis sob a solda na ZTA. Este procedimento é condição essencial para se atingir bons resultados.

Recondicionamento de Rodetes

Foto 2 – Dentes em processo de grafitamento e preparo para soldagem

Para que todas estas etapas sejam realizadas e controladas dentro do rigor necessário, a Welding montou suas próprias instalações industriais voltadas principalmente para o recondicionamento de rodetes. Neste ambiente, cercado de todos os recursos técnicos necessários para que se realizem boas práticas de soldagem, rodetes podem ser recondicionados e voltar a operar com desempenho similar ao de peças novas.

Recondicionamento de Rodetes

Foto 4 – Rodete recondicionado e pronto para entrar em operação novamente.


Solicite um orçamento